A minha participação no I Fórum do Parlamento Infanto Juvenil da CPLP – Yasmin Tavares

Para começar, gostaria de dizer que foi uma oportunidade incrível representar Cabo Verde nesse I Fórum do Parlamento Infantil da CPLP, que ocorreu juntamente com com o IV Seminário Luso-Brasileiro de Educação de Infância e com o I Congresso Luso-Afro-Brasileiro Infâncias e Educação cujo tema era: Educação, culturas e cidadania das crianças, em Aveiro-Portugal.

Para o tal Fórum foram convidados, como o próprio nome já revela, representantes de todos os Parlamentos Infanto-Juvenis da CPLP e daqui de Cabo Verde a delegação foi composta por mim, Yasmin Tavares, pelo meu colega Marco Silva e pela assistente social do ICCA (Instituto Cabo-Verdiano da Criança e do Adolescente), dona Nair Teixeira, que nos acompanhou durante a viagem e nos forneceu todo o apoio do qual necessitávamos.

Durante o tempo em que ficamos por lá, pudemos conhecer algumas instituições direcionadas às crianças como a Instituição Particular de Soliedariedade Social Florinhas do Vouga. Também participamos da abertura formal do I Fórum do Parlamento Infantil da CPLP, que ocorreu no salão nobre da Assembleia Municipal de Aveiro com a participação da Assembleia Jovem de Aveiro e representantes de escolas locais

Para além do Fórum, no Seminário e no Congresso também a nós, representantes dos Parlamentos Infanto-Juvenis da CPLP, foi dado vez e voz e, assim como disse a Professora Doutora Rosa Maderia, apresentamo-nos não só como meras crianças e adolescentes, mas sim como representantes de desejos coletivos das crianças e adolescentes dos nossos países e também como investigadores.

Da minha parte, quis mostrar-lhes que não há ninguém melhor do que as crianças para ajudá-los a detetar os problemas que afetam a infância, a definir as soluções para os tais problemas e a verificar no campo, se estas soluções realmente estão a surtir efeito. Por isso, deixei claro a minha gratidão por estar ali e a minha disponibilidade para dar o meu máximo na defesa dos direitos das crianças.

Esse intercâmbio foi de grande valia para mim e acredito que para todos os que ali estavam presentes, porque através dele trocamos experiências e adquirimos novos conhecimentos que em nós fez brotar novas ideias.

A cerca da diferença entre o meu país e os outros países participantes, concluo que nós, crianças e adolescentes cabo-verdianos, temos muito a agradecer por ter essa oportunidade de participar ativamente de um Parlamento Nacional que serve exclusivamente para tratar de matérias relacionadas aos nossos direitos. Ao contrário dos miúdos de Portugal, por exemplo, acredito que nós aqui em Cabo Verde temos vez e voz e que realmente somos ouvidas. Agora só pedimos que o que foi e é ouvido seja realmente posto em prática e nós gostaríamos de participar ativamente na resolução dos problemas que nós mesmos indicamos e verificar se as soluções estão a surtir o devido efeito, ou seja, o que queremos é realmente cumprir o nosso mandato.

A ideia desse Fórum foi de criar uma relação/ ligação entre os Parlamentos Infanto-Juvenis da CPLP, creio que entre os países presentes isto foi efetuado e que isto serviu-nos essencialmente para reafirmarmos que nós, países africanos, principalmente, temos uma alta taxa de população jovem, logo nós, crianças, adolescentes e jovens somos a maioria e temos de lutar pelos nossos direitos .

Somente se começarmos a fazer isso, o desenvolvimento dos nossos países será impulsionado.

Ficamos encantados, posso assim dizer, com todas as apresentações e depoimentos de todos, mas em especial do idealizador deste Fórum, Seco, e da delegação da Guiné Bissau, que foi de grande valia, uma vez que, com a sua apresentação, pudemos constar que o Parlamento Infanto-Juvenil da Guiné Bissau é bastante ativo. Ele conta com um número de deputados júnior’s correspondente aos deputados da Assembleia Nacional. Também tem um gabinete e até está dividido em departamentos que tratam de diversos temas como a educação, a saúde, a proteção feminina, entre outros. Certamente, o Parlamento Infanto-Juvenil da Guiné Bissau é um grande exemplo a seguir por todos os países da CPLP.

Inspirada pelo tal Parlamento Infanto-Juvenil, quero ainda, durante o meu mandato  poder pedir aos políticos nacionais  que nos dêm a liberdade e o “poder’’ que precisamos para atuarmos. Isto poderia começar a  ser feito através da criação de um gabinete do Parlamento Infanto-Juvenil de Cabo Verde na Assembleia Nacional.

Para tal, eu, representante do Parlamento Infanto-Juvenil de Cabo Verde, gostaría de, juntamente com os meus colegas deputados júnior’s, poder entrar em contato com alguma entidade da Assembleia Nacional, para estabelecermos um encontro e partilharmos algumas ideias que temos em prol da satisfação das necessidades das crianças cabo-verdianas e também para pedir o seu apoio para a concretização de alguns projetos que temos em mente.

Mas enquanto isso não acontece, continuamos a ajudar as crianças da maneira que nos é possível.

Mesmo que, infelizmente, nem todos os países convidados puderam estar presentes no Fórum, volto para casa de ‘’coração cheio’’, como muitos referiram durante o evento e espero voltar a participar, juntamente com outras crianças e adolescentes, porque ainda tenho muito a partilhar convosco.

Por: Yasmin Tavares